O que eu aprendi com a reeducação alimentar

Um dia desses eu estava fazendo compras no mercado, e fiquei pensando no quanto a minha vida mudou desde o momento em que decidi ir atrás de uma alimentação melhor.

Na verdade a minha alimentação sempre foi muito boa, desde criança os meus pais me acostumaram a comer de tudo e não ter medo de provar coisas novas. Todo dia em casa o “cardápio” era composto por arroz, feijão, carne (ou frango e peixe), legumes e salada.

Além disso, minha mãe comprava uma infinidade de frutas e me incentiva a comer com frequência.

Que eu me lembre nunca olhei para algo no prato e disse: “Hmmm, mas isso eu não como”. O meu maior problema mesmo foi quando eu me mudei para São Paulo, e passei a comer tudo que eu havia vontade e não comia antes.

Untitled-3

 

Eu morava na Praia Grande, e lá nunca teve muitas opções de fast-food ou qualquer outra novidade de fácil acesso como em São Paulo.

Quando eu me mudei e fui morar com meu namorado, a nossa compra no mercado era composta basicamente por: refrigerante, congelados, processados, biscoitos, doces e tudo quanto é besteira que vocês possam imaginar.

Também comíamos muita besteira fora de casa, e o pior: eu era sedentária!

Sei que quando a gente pensa em mudar os nossos hábitos alimentares a primeira coisa que temos em mente é o emagrecimento, mas ter hábitos mais saudáveis influencia em absolutamente tudo na nossa vida.

Posso garantir que a reeducação alimentar é a chave do sucesso de qualquer emagrecimento, mas não é algo que acontece do dia para noite. A reeducação alimentar é um exercício diário que fazemos, não tem jeito!

É difícil e exige muita dedicação, mas vale a pena viu?

Quando eu decidi entrar nesse caminho inteligente, vi que seria possível seguir uma vida assim e ainda não abrir mão de pequenos prazeres. Afinal, a comida também é uma forma da gente socializar. Por isso eu optei por seguir um caminho mais longo, porém que me fizesse feliz.

Vejo inúmeras dietas pipocando por aí, e sempre penso se vale a pena mesmo sofrer tanto sabe? Já fiz dietas malucas (quando eu era adolescente) e me frustrei todas as vezes.

Na minha opinião ninguém precisa se privar de algo que gosta de comer, basta ter equilíbrio e não “enfiar o pé na jaca” diariamente. Era isso que eu fazia e óbvio que uma hora eu poderia ter problemas sérios de saúde.

Hoje em dia eu tenho o hábito de ler o rótulo da embalagem dos produtos que consumo, procuro alternativas saudáveis para os pratos mais calóricos que gosto e tento sempre fazer escolhas mais inteligentes.

A minha compra no mercado que antes era repleta de “porcarias”, hoje é uma compra bem mais inteligente e saudável. Claro que as vezes eu como alguma besteira, como eu disse tem que haver um equilíbrio.

No vídeo eu falo um pouco mais sobre isso, espero que vocês gostem! <3

Estou com outras ideias de vídeos sobre esse tema e em breve faço outros pra vocês. Combinado?

Beijos